Fapeal orienta colaboradores sobre as doenças transmitidas por mosquitos

Técnicos da Secretaria de Estado da Saúde fizeram vistoria e ministraram palestra na Fundação

IMG_9007

Paulo Protásio de Lucena, palestrando

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal) dedicou uma manhã ao cuidado e prevenção da zika, dengue e chikungunya, doenças virais transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti e que se tornaram epidemias no Brasil.

Quatro técnicos da Superintendência de Vigilância em Saúde, cedidos pela Secretaria de Estado de Saúde (Sesau), buscaram por focos de infestação e conscientizaram os colaboradores da Fapeal, nesta sexta-feira (8).

O dia começou com vistoria nas dependências externas e internas do prédio da Fundação. A rotina de checagem técnica dos profissionais de saúde pública foi acompanhada por colaboradores da Fapeal que trabalham nos setores da manutenção predial, jardinagem e limpeza e serviu como uma capacitação.

IMG_20160408_094913526

Técnico da Sesau em vistoria na sede da Fapeal

“Temos uma técnica de vistoria para não deixar nenhum ambiente de depósito de ovos do mosquito sem checagem. As repartições públicas geralmente são limpas, mas nós vistoriamos calhas, telhados, cômodos desativados e detalhes da parte externa”, explicou Everaldo Batista, guarda de endemias.

“A partir de agora, vamos estender o cuidado que já temos com a limpeza para os locais onde os técnicos procuraram os focos”, declarou Manoel Elion, do setor de manutenção predial da Fapeal. “Eles perceberam coisas que antes passavam despercebidas ao pessoal da limpeza. Agora, temos ferramentas para melhorar nosso trabalho”, confirmou Antonio Elias Ferreira, do mesmo setor.

Diálogo – A segunda etapa da visita dos agentes foi uma palestra ministrada por Paulo Protásio de Lucena que, de forma realista e contundente, esclareceu pontos sobre o comportamento do mosquito Aedes aegypti; sobre sintomas e cuidados com cada uma das três doenças e, também, sobre o contexto socioambiental do problema, que envolve os desafios para o sistema de saúde brasileiro e as previsões de consequências para o futuro.

“Este ser está em todos os bairros e cidades. A luta contra o mosquito é uma responsabilidade da espécie humana”, observou, destacando tanto a responsabilidade governamental como a proatividade de cada cidadão.

A programação foi inserida no “Momento Saúde”, um evento bimestral e temático da Gerência de Valorização de Pessoas da Fapeal, voltado à prevenção da saúde e qualidade de vida dos colaboradores.

Comentando o evento, o palestrante destacou ainda a importância de disseminar a informação para construir uma  tomada de atitude dos cidadãos, independentemente de serem funcionários públicos.

“Precisamos identificar em nossa estrutura vulnerabilidades e locais de risco, tanto para o adoecimento dos colaboradores quanto do público usuário das repartições, para que possamos corrigir isso e ganharmos ambientes cada vez menos favoráveis à reprodução do mosquito.”

Interação – E foi justamente por uma Alagoas melhor, preparada para a luta contra o Aedes aegypti que o Governo do Estado lançou o aplicativo Juntos Pela Saúde, tecnologia que permite ao cidadão informar a Sesau sobre focos de reprodução, através de fotos, vídeos e mensagens de texto.

A solução foi oficialmente apresentada aos colaboradores da Fapeal que, a partir de agora, estão mais preparados para fazer sua parte.

IMG_20160408_095311179

Recomendados para você...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *