Fapeal formata novo edital para inovação

O PPG Empresa é iniciativa inédita para aproximar academia e mundo empresarial

img_0545

O cenário inovador alagoano está galgando espaços, com a sinalização de apoios sistemáticos para sua estruturação. A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal) tem atuado de forma contínua neste cenário, não só para a renovação das chamadas existentes, como na formulação de propostas inéditas.

Compondo esta nova fase, o edital PPG Empresa será uma estreia em Alagoas, visando insumos financeiros para esta área emergente. O programa disponibilizará aportes financeiros para o fomento de bolsas dos programas de pós-graduação strictu sensu em Alagoas, para pesquisadores interessados em conduzir seu conhecimento acadêmico a sanar as lacunas em empresas de diversas áreas, porém solucionando estas problemáticas de forma inovadora.

“Esta proposta pretende que alunos de mestrado e doutorado elaborem as suas dissertações e teses voltadas à elaboração de produtos inovadores para empresas, promovendo um link entre PPGs e empresas”, ressalta Juliana Khalili, Assessora Científica de Projetos Especiais e Inovação da Fapeal.

Na última segunda (31), ocorreu uma reunião entre as instituições parceiras do edital. A Fapeal, em conjunto com a Federação das Indústrias do Estado de Alagoas (Fiea) e o Serviço de Apoio as Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), promoveu uma Oficina de Temas Prioritários para elencar as possíveis linhas de pesquisa.

“O edital visa conectar os programas de pós-graduação que desenvolvem aparatos de alta densidade tecnológica com as empresas locais que precisam desta transferência de tecnologia”, cita João Vicente Lima, diretor executivo de CT&I da Fapeal. O gestor argumenta que a finalidade é alavancar as empresas alagoanas, gerando emprego, renda, imposto, e aprimorando os PPGs presentes.

Os órgãos convidaram as empresas privadas e os setores públicos em momento distintos, no intuito de ouvir as necessidades que atendam aos diversos mercados logísticos. Baseando-se em ideias tecnológicas que atendam as necessidades de um campo amplo, haverá um cruzamento de dados, relacionando as linhas de estudos já existentes nos PPGs universitários com as demandas locais.

“Nós estamos num momento economicamente instável no país, os recursos para inovação estão escassos, e esta iniciativa vem contribuir de forma incisiva porque estimula um processo de inovação já iniciado e que tem resultados garantidos no estado”, explica Eliana Sá, coordenadora de Desenvolvimento Empresarial do Sistema Fiea.

 

Recomendados para você...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *