Fapeal recebe bolsistas que vão atuar em órgãos do Governo de Alagoas

Programa vai beneficiar onze instituições do Estado e doze projetos da administração indireta

IMG_3155 (1024x683)

Fábio Guedes, diretor-presidente da Fapeal, e bolsistas da Semarh.

 

Os bolsistas participantes do Programa de Apoio à Pesquisa e Desenvolvimento das Políticas Públicas em Áreas Estratégicas do Estado de Alagoas (PDPP), assinaram nesta quarta-feira (30), o termo de outorga de bolsas, que regulamenta suas atividades. Através de acordos de cooperação, a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal), viabilizou 74 bolsistas, que irão atuar em 12 projetos, divididos por 11 secretarias e órgãos da administração indireta do governo estadual.

O PDPP permite a formação de grupos de inteligência para atuar na produção de pesquisas e desenvolvimento de tecnologias de gestão voltadas para políticas públicas, através da coordenação de um mestre ou doutor.

A Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) é o único órgão que conta com dois projetos, um voltado ao Direito e outro à Economia e Contabilidade. Anderson Barros, mestre em ciências contábeis e bolsista no grupo para “Avaliação e atualização das práticas contábeis, fiscais e financeiras do Estado de Alagoas”, comentou que a experiência está sendo válida como oportunidade para que pesquisadores direcionem sua contribuição às políticas públicas do Governo. “O grupo está muito empenhando, as pesquisas estão evoluindo, estamos num processo de muitos diagnósticos e possivelmente vão sair várias publicações”, avalia.

Cooperação

IMG_3162 (683x1024)Na ocasião, os bolsistas receberam esclarecimentos sobre o acompanhamento dos projetos, prestados pelo chefe de Gabinete da Fapeal, Rômulo Sales, e pelo assessor científico de Formação de Capital Humano, Thiago Nascimento.

O diretor-presidente da fundação, Fábio Guedes, cumprimentou a escolha dos profissionais, técnicos e pesquisadores presentes, em contribuírem com o Governo de Alagoas e reiterou foco do PDPP em pesquisa e novos instrumentos e tecnologias de gestão, além de informações e análises para auxiliar o estado no seu enfoque de políticas públicas.

“Algumas secretarias têm quadros que sabem executar muito bem a gestão das políticas públicas e o dia a dia administrativo do Estado. Mas vocês estão dentro de um quadro que formula, pensa, analisa e executa”, incentivou.

Um dos gestores públicos presentes ao evento, Luciano Rocha, assessor da presidência da Agência Reguladora de Serviços Públicos do Estado de Alagoas (Arsal), que estruturou o projeto “Acompanhamento, monitoramento e avaliação de políticas públicas voltadas ao Desenvolvimento Socioeconômico na área de atuação da Arsal”, expressou suas perspectivas para o PDPP: “Esse programa é uma política do governo que nós parabenizamos. Hoje, no Estado, são bem-vindas pessoas com qualificação acadêmica e científica, para pensar de um modo inovador, para que Alagoas avance e para que possamos acompanhar o que há de mais moderno em termos de gestão”, declarou.

Recomendados para você...

3 respostas

  1. 22 de outubro de 2015

    […] Programa de Apoio à Pesquisa e Desenvolvimento das Políticas Públicas (PDDP) surgiu num contexto voltado ao desenvolvimento dos órgãos da administração direta e indireta, […]

  2. 29 de outubro de 2015

    […] estão sendo beneficiadas 11 instituições, com 74 bolsistas, divididos em 12 projetos. Dentre estas, a Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão, Seplag, […]

  3. 21 de novembro de 2015

    […] programa, já implantado em 11 órgãos, ganhou mais quatro adesões nesta terça (17), a partir da assinatura de termos de cooperação […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *