Parceria entre Fapeal e Sesau otimiza pesquisa em saúde pública no Estado

Órgãos atuam em parceria com o Ministério da Saúde, investindo R$ 2 milhões em pesquisas

 

4b5c0c22-3d24-4f5d-8f6f-57a28076a3ce

Clique para Visualizar

Reunir esforços para o desenvolvimento de políticas de saúde pública assinala uma parceria exitosa no Governo de Alagoas. O Programa de Pesquisa Para o SUS (PPSUS) é um modelo de gestão compartilhada, cujo edital é operacionalizado em conjunto pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal), Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (Sesau), Ministério da Saúde e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

A chamada está inserida num programa executado em âmbito nacional, que, em Alagoas, encontra-se na sua 6º edição, iniciado em 2001. O trabalho representa um plano de referência em práticas especializadas para o Sistema Único de Saúde (SUS), que otimiza estudos em amplas regiões do Estado, potencializando o leque de atuação e conduzindo a pesquisa a lugares ainda não contemplados.

Neste ensejo, serão investidos R$ 2 milhões no Edital, sendo R$ 1,5 milhão do Ministério da Saúde, por meio do CNPq, e R$ 500 mil do Estado de Alagoas, por emio da Fapeal e da Sesau, que concedem R$ 250 mil cada. O evento de lançamento da nova Chamada PPSUS 2016 será realizado nesta terça-feira (31), no Maceió Mar Hotel.

O momento reunirá pesquisadores, comunidade científica e gestores públicos das redes de saúde estadual e municipal, além das instituições envolvidas, para pontuar as perspectivas do planejamento atual.

Posteriormente será apresentado, durante dois dias de programação, o Seminário Final de Avaliação do PPSUS 2013, que conclui suas atividades neste ano, com resultados positivos.

“Os representantes dos órgãos envolvidos irão expor os principais pontos da chamada atual. Lembrando que, poderão concorrer com linhas de pesquisa mestres e doutores, a diversas faixas de financiamento, sendo a maior delas ofertando até R$ 300 mil por pesquisa”, explica Juliana Khalili, assessora científica de Projetos Especiais e Inovação da Fapeal.

A gestora cita que o edital de 2013 prospectou ações diretas para suprir lacunas da saúde local. Como exemplo de resultados práticos, tem-se o projeto de prevenção do câncer bucal; o estudo das fendas palatinas com diagnósticos específicos (levando ao devido encaminhamento e acompanhamento de crianças ao tratamento) e linhas de pesquisa em saúde mental, entre outras.

“Os projetos são desenvolvidos na maioria das regiões do Estado, no entanto, nesta nova versão, o campo de atuação se voltará a abranger Alagoas em sua totalidade”, afirma Khalili.

Os órgãos esperam público permanente durante os três dias de discussão, iniciados no dia 31 às 9h, concluindo sua agenda no dia 2 de junho. Os setores alusivos aos estudos foram convidados, porém, pesquisadores sensíveis às temáticas podem contribuir com as discussões no evento, cuja entrada é franca.

 

 

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *