Pesquisa em Cristal Líquido: A Física de Alagoas ganha destaque internacional

Pesquisador apoiado pela Fapeal será o primeiro nordestino convidado como palestrante em tradicional evento científico nos EUA

IMG_0908

Ítalo Oliveira. Fotos: Tárcila Cabral

Citar que o Instituto de Física abrigado na Universidade Federal de Alagoas (Ufal) é uma referência entre os laboratórios locais não é um fato inédito. Entretanto, narrar como suas elaborações qualificadas vêm emergindo no contexto da pesquisa internacional é significativo e meritório.

O professor Ítalo Oliveira, doutor em física da matéria condensada, foi convidado a apresentar os trabalhos de seu grupo de pesquisa na tradicionalInternational Liquid Cristal Conference (Conferência Internacional sobre Cristal Líquido), em Kent, Ohio, EUA. O evento ocorre há 50 anos, em frequência bianual, e atrai cerca de 2 mil conferencistas de todo o mundo. É a primeira vez em que um pesquisador nordestino é convidado a ser palestrante.

“Apenas dois pesquisadores brasileiros foram convidados a apresentar trabalhos nesta conferência. Um de São Paulo, financiado pela Fapesp, e outro de Alagoas, financiado pela Fapeal. Então nosso Estado tem muito a se orgulhar de contribuir para isto”, destaca o pesquisador, o primeiro beneficiado na segunda edição do edital da Fapeal para Participação em Reunião Científica no Brasil ou no Exterior.

Kent é um local de referência para o desenvolvimento de toda a pesquisa tecnológica sobre cristal líquido do mundo, devido ao Liquidal Cristal Institute (Instituto do Cristal Líquido), que desenvolve resultados aplicáveis em larga escala, a exemplo dos monitores de LCD (Display de Cristal Líquido).

O Grupo de Pesquisa em Líquidos Anisotrópicos e Polímeros do Instituto de Física da Ufal concentrou seus estudos nesta grande área, de forma sistematizada, nos últimos anos, obtendo destaque com suas publicações. As pesquisas asseguraram êxito em abordagem inovadoras no que se refere aos estudos em cristais líquidos e ao seu amplo aproveitamento em sistemas complexos.

A obra despertou interesse também por parte de um renomado periódico mundial: A revista “Liquid Cristal Reviews”, fomentada pela Universidade de Cambridge, produz quatro edições anuais e convidou a equipe da Ufal a elaborar um artigo para a próxima edição.

IMG_0891

Laboratório de Líquidos Anisotrópicos e Polímeros do Instituto de Física da Ufal

A história – A abertura ao campo foi iniciada no ano de 2011. No momento, um grupo de pesquisadores visava explorar a temática de forma aprofundada. Ítalo Oliveira, um dos cientistas à frente da iniciativa explica que, a partir de estímulos advindos de órgãos como o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), foi dado o pontapé para a viabilização de um laboratório moderno e equipado.

O O Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Fluídos Complexos (INCT-Fcx) prospectou recursos para a compra de aparelhos e máquinas especializadas. Porém, a estruturação física do espaço só ocorreu devido ao apoio concedido pelo Programa de Apoio aos Núcleos de Excelência (Pronex), financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal). A equipe ainda contou com o auxílio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), e compilando estes esforços, a Ufal passou a promover trabalhos experimentais associados aos cristais líquidos no Instituto de Física (IF).

A pesquisa atual volta-se a temáticas pioneiras e surgiu como uma ação de descentralização das produções feitas na área, para que houvesse uma abrangência maior. Este laboratório é importante, pois é o único dedicado a estudos articulados em cristais líquidos no Norte e Nordeste. No país, atualmente, só existem quatro laboratórios neste ramo, em Santa Catarina, Paraná, São Paulo, e o quarto, sediado em Alagoas.

Além de Ítalo Oliveira, o grupo também é composto pelo professor dr. Sergio Henrique Albuquerque Lira e pelas professoras doutoras Maria Socorro Seixas Pereira e Lidiane Maria Omena da Silva, esta última representante do grupo no campus da Ufal em Arapiraca.

Os frutos – Um outro ponto fundamental é a aplicabilidade final dos objetos. Em cinco anos de atuação, o Grupo de Líquidos Anisotrópicos e Polímeros, tem feito contribuições pontuais a eventos acadêmicos de difusão teórica. Em 2013, Maceió sediou o 9º Workshop em Fluidos Complexos, que reuniu professores de 13 países, e confirma a qualificação dos produtos realizados no IF. Como progressão, foi promovido similarmente, o 2º Encontro ítalo-brasileiro de Cristais Líquidos, que foi fomentado novamente pela Capes, CNPq e Fapeal, desenvolvendo um evento internacional, o primeiro de Alagoas sobre cristais líquidos.

Graças a tal dinâmica, foram formados cerca de mais de 10 alunos de pós-graduação, a partir de proposições que englobam o ponto teórico do cristal líquido, assim como o experimental. Mais recentemente, o grupo tem voltado os seus estudos aos problemas que envolvem a interação dos cristais com nanopartículas. Este esforço demonstra que, é possível utilizar cristais líquidos como um material base, para gerar estruturas auto-organizáveis e microscópicas.

 Esta cadeia de reconhecimentos demonstra o esforço e o nível dos estudos financiados no Instituto de Física da Ufal. No entanto, ainda é preciso galgar mais espaços que auxiliem na manutenção e no financiamento dos laboratórios. “A continuidade de ações de suporte é indispensável para o funcionamento das pesquisas, o que implica em recursos necessários. Os próprios materiais, como os cristais líquidos, são perecíveis, e o apoio torna-se fundamental”, frisa o pesquisador. No momento, a Fapeal tem edital aberto no valor de R$600 mil para instalação e manutenção de equipamentos.

Relevância – De todas as áreas de produção da ciência brasileira, a Física é a que possui maior fator de impacto internacional, ou seja, é a área da ciência brasileira que é publicada nos periódicos científicos de melhor qualidade no exterior.

 Alagoas já pode se considerar incluída neste mapa. Garantir que o trabalho construído ao longo dos anos não seja desgastado com a falta de incentivos é uma missão constante, ligada ao estabelecimento de uma cultura de produção em Ciência, Tecnologia e Inovação no estado. Reunindo instituições sensíveis e agentes dedicados, esta janela continuará forte e operante.

IMG_0862IMG_0878

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *